Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

* Protagonismo imbecil a qualquer preço! *

Fiquei hoje a saber de mais um caso de maus tratos a animais. Como vocês devem calcular este é um dos temas que me afeta imenso e me dilacera o coração, de tal forma que me recuso a ver fotos, videos, páginas, etc. relacionadas com isto. Não vi o video em causa mas só de ler a descrição do que se passou, fui deixar uma palavrinhas "queridas" à besta que o fez com o seu cão bebé.

 

Ao que parece este não é o primeiro caso de maus tratos desta besta, tendo, inclusivamente, espezinhado um pombo (que vocês sabem que eu odeio mas que se vir um a coxear, fico com o coração partido). Este puto é um psicopata e não tem desculpa - mesmo depois das inúmeras vezes que pediu no seu facebook, dizem que quem tem c* tem medo, não é? - para este tipo de comportamento.Concerteza é um puto desequilibrado à procura de fama e protagonismo da forma errada. Ora então reparem: as suas publicações ou são dele despido da cintura para cima ou então a maltratar animais! 

 

Pelo amor dos animais não partilhem videos a maltratar animais e nem ponham "like" em publicações deste teor. Para quem não sabe, LIKE significa GOSTO em inglês... Gostam de ver cenas de violência contra inocentes? Eu não e não sou conivente com nada deste género, não o sejam também, não dêem importência e protagonismo a quem não o merece!

Partilhar sim mas às entidades competentes, fazendo denúncia para que estas bestas sejam punidas. Os cães são os nossos amigos mais fiéis e, mesmo que lhes façamos mal, eles estão saempre ao osso lado amando-nos incondicionalmente. Merecem ser tratados e amado de forma igualmente incondicional!

 

Pimentinha1.jpg

 

Deixo aqui apenas uma foto do meu amado Pimentinha. O meu adorado Bóbi faleceu por negligência do vet e eu ia morrendo de desgsto. Não consigo falar sobre isto e evito ver fotos dele para tentar superar isto e evitar uma sessão de choro violenta. Foi/é um sofrimento atroz! Um dia conto-vos tudo.

Realmente não percebo estes governantes.

Mas estes governantes estão todos loucos e só conseguem ver cifrões à frente ou sou eu que sou muito burra e não percebo nada disto?

 

São medidas arrepiantes atrás de medidas arrepiantes. Assim de repente, lembro-me de duas altamente injustas: o impedimento do pedido de reforma antecipado e o fecho da MAC em breve.

 

Mas que direito têm estes parvalhões de impedir quem descontou uma vida inteira e que tem direito à reforma, o faça? Ai a Segurança Social não tem verba para aguentar as reformas e os crescentes subsídios de desemprego? A mim não me espanta nada, aos senhores é que não lhes deve ter discorrido.

Como é que a Segurança Social pode ter verba se é só dinheiro a sair e nenhum dinheiro a entrar? Ah os senhores não se lembraram que ao lixarem com "F" grande as empresas que foram obrigadas a fechar e, consequentemente, a despedir os seus trabalhadores, iria deixar de entrar dinheiro para a Segurança Social? Eu não percebo nada de economia mas ao saber diminuir 2 menos dois, sei que o resultado é zero.

 

E já agora, expliquem-me lá as razões para encerrar uma das melhores maternidades do país com serviços que só lá existem e que tanto apoio dá a tanta gente necessitada? E depois como vai ser? Expliquem-me vá!

 

Se querem acabar com Portugal digam-no logo de uma vez! Já mandaram o pessoal licenciado ir trabalhar para fora do país, já nos estão a matar à fome, já estamos endividados até ao pescoço (e jamais seremos presos pelo fisco porque isso seria mais uma despesa para o estado, por isso seremos condenados à pena de morte), não podemos ter filhos porque não temos dinheiro para os alimentar, portanto estão a dizimar a população... Se só querem ficar cá vocês, tenham a coragem de o dizer. É que pode ser que os Tungas abram a pestana e façam uma nova revolução. Desta vez não a dos cravos mas a dos cactos, para ver se afastam de vez gentinha como os senhores!

 

Até mete nojo!

Chego eu a casa e deparo-me com um bruta Rolls Royce, novinho em folha mal estacionado na minha zona.

 

Adivinhem lá a quem pertence? Àqueles parasitas que vivem à conta dos nossos descontos a que o estado atribui várias designações como "rendimento de inserção social" ou "rendimento mínimo", que levam os dias de dentes-ao-sol a beber e fumar nos cafés, e a rir a bandeiras despregadas. A vida corre-lhes bem, não precisam mexer um músculo para lhe cair o dinheirinho nas mãos. E ainda há aqueles que, para fazer uns bicos e passar o tempo na venda de substâncias ilícitas.

 

Desculpem lá mas isto é revoltante, mete nojo MESMO!

Também estou em greve.

Estou sim mas não da maneira que estão a pensar, não da maneira "tradicional", digamos assim. Até porque a quinta-feira, infelizmente, é um dos dias em que não tenho trabalho.

 

Estou em greve contra as coisas menos boas que têm assolado a minha vida. Estou em greve contra os recibos verdes, contra o meu mísero ordenado - que neste momento é prai metade do mínimo - contra a pouca valorização profissional, contra os "abutres" que sobrevoam a minha existência, contra os entraves dos meus projectos pessoais, contra as injustiças que vejo à minha volta e as que sofro na pele.

 

Estou em greve contra a distância que me obriga a estar longe da minha cara metade, contra os fatores que não nos deixam prosseguir o nosso caminho da felicidade tranquilos e sem preocupações.

 

Estou em greve contra um estado que me lixa a toda a Força, que me tira tudo e não me dá nada. Estou de greve contra governantes que só pensam roubar ao povo e não em abdicar de um pouco dos seus auferimentos (astronómicos!) mensais ou da sua riqueza pessoal em prol de uma nação que se encontra em péssimo estado graças à sua má governação.

 

ESTOU EM GREVE!*

 

*Porque quero, porque posso e porque sou solidária...

 

 

Injustiças

Aqui na minha zona, há um centro de formação profissional (até há mais) que fica perto de uma das paragens do autocarro que me leva para o colégio.

De há umas semanas para cá, têm entrado duas moças que me pareciam de etnia cigana. Mas como não gosto de estar a olhar fixamente para as pessoas a observá-las, ainda não tinha conseguido ter a certeza. Mas pela maneira de falar, de pentear e até de alguns trejeitos na fala, assim me pareciam.

 

Pelo que percebi, elas devem estar a tirar algum curso. Talvez obrigadas para receberem o rendimento mínimo ou o rendimento de inserção social, como quiserem designar. Não sei muito bem qual a necessidade disto mas também não é para eu entender. Afinal de contas, esse curso terá muito poucas possibilidades de ser exercido. Conheço apenas uma cigana que não vai trabalhar para a venda e que trabalha numa loja mas também ela não é igual aos outros e nem se mistura. Até o modo de vida é diferente.

 

Hoje, as tais moças entraram de novo no autocarro e eu obtive a certeza absoluta de que eram ciganas: a conversa que elas iam a desenrolar assim o comprovou. Era impossível não ouvi-las já que elas vinham sentadas atrás de mim e falavam alto. E foi aqui que ouvi o que me deu a volta às entranhas. Uma delas contava à outra o que o irmão tinha ganho na venda em dois dias: na feira A ganhou 50 contos e na feira B ganhou 80 contos. Isto é, só em dois dias ganhou 650 euros! Se calhar nem trabalhou nos outros dias, pois se ganhar isto por semana, ao fim do mês terá auferido 2.600 euros. Como não fazem descontos de espécie nenhuma, é só lucro. Despesas? Só se for a enfardar bolos nos cafés, que é o que aqui fazem, e a fazer autênticas passagens de modelos durante todo o dia. Eles e elas. 

Despesas? As casas foram-lhes atribuídas pela Câmara Municipal e a renda deve ser cerca de 5 euros, água e luz pouco devem pagar pois o dia deles é passado na rua faça chuva ou faça sol, faça calor ou faça frio.

E os carros? Muitos deles de alta cilindrada, que um trabalhador "normal" nunca teria posses para comprar. A não ser que se endivide até ao pescoço.

 

Aquilo que me revolta as entranhas é que eu farto-me de trabalhar, sou obrigada a pagar os impostos todos, ninguém me dá absolutamente nada e recebo 200 euros ao fim do mês (foi o meu vencimento o mês passado). E se precisar de uma qualquer ajuda mandam-me dar uma curva porque trabalho a recibos verdes e não tenho direito a nada. Ai não tens dinheiro para comer ou para pagar a casa?! Azar! Não existisses e não te tivesses metido numa casa - super barata mas que mesmo assim vai custando a pagar - e agora vai para debaixo da ponte! É isto que o estado me dirá, caso eu precise dele. 

 

E é isto que me revolta, porque é que esta gente não faz descontos e tem direito a tudo e o rabinho lavado com água de malvas? Talvez se os obrigassem a pagar, não fosse preciso "roubar" tanto ao comum trabalhador, nem à função pública. Talvez fosse a solução para colmatar a crise.

 

Censos e a minha mãe.

É um dos assuntos do dia e são uma autêntica palhaçada como já todos sabemos. As perguntas são completamente descabidas e parece que foram feitas em cima do joelho, feito à medida da conveniência do governo e não para saber como vive/estão a população do país real e actual. Afinal tiveram 10 anos, como disse o Miguel Sousa Tavares, para pensar, ponderar e elaborar a informação e as perguntas... Isto é mais um reflexo do estado deste país, tudo feito à pressa, mal feito e sem pés nem cabeça. Enfim!

 

Aqui em casa quem preencheu os censos fui eu, claro. Os velhotes já não "estão" para estas coisas. Assim, a minha mãe desconhecia o conteúdo dos censos, das perguntas e só se foi apercebendo por aquilo que vai ouvindo na televisão ou pelo que as amigas dizem (é o que faz delegar as coisas aos filhos :P).

Acontece que, ao ter consciência do conteúdo dos censos e do tipo de perguntas, ficou danada e anda toda revoltada e agora já só me diz para não preencher certas coisas porque eles não têm nada a ver com isso... ahahaha! Realmente era o que todos devíamos fazer, a começar por mim que a pergunta mais rídicula de todas: a dos recibos verdes!

Boiando Na Crise.

Acho que hoje acordei de mau humor. Acho, não tenho a certeza. Estou sem grande paciência seja para o que for. Estou sem vontade de mexer uma palha, nem de ouvir as porcarias do costume aqui de casa e com pavio curto para aturar alunos que acham que as aulas já acabaram e que "agora vamos chatear a cabeça à teacher!".

 

E mais, estou revoltada e raivosa. Não achei piada nenhuma áquela medida do governo de ir mexer no 13º mês do pessoal. Não é que eu o receba pois trabalho com a coisa mais horrível ao cimo da terra chamado "recibo verde". Não tenho direito a nada a não ser fazer descontos gigantescos para a segurança social e para as finanças da miséria de ordenado que recebo. Se vos contasse qual é o meu ordenado, até iam pedir para mim à porta da igreja ou para o metro!

 

E tendo em conta isto, passei o dia a fazer contas de cabeça e conclui que o que me sobra ao fim do mês, depois de pagar as contas obrigatórias, são mesmo uns trocos. Não é novidade nenhuma mas às vezes quando nos pomos a pensar, conscientemente no assunto, é que vemos que como somos mal pagos e como nos esfalfamos a trabalhar.

 

Lembrei-me agora de uma senhora encarregada de educação que resolveu fazer-me "exigências" absurdas até que a tive de meter no seu devido lugar ao explicar-lhe que EU não tenho um estatuto igual aos dos outros profes, logo não podem fazer-me as mesmas exigências. Expus-lhe o caso por alíneas e até lhe disse quanto ganhava à hora. Ficou escandalizada.

Desculpa para aqui e para ali e que "não fazia ideia". Pois, às vezes falamos demais.

 

Cada vez que me lembro a fortuna que o nosso governo gastou, num momento de tão grande crise, por causa da vinda do Papa a Portugal...! Não lembra nem ao Diabo. Acho que neste momento o chifrudo está a esfregar as mãos de contentamento e a pôr mais lenha na fogueira pois vai receber mais visitantes. Ai vai, vai.

Lá está, é como já li algures, o Papa veio a Portugal dar a extrema unção pois o país está a definhar e adivinha-se a sua morte em breve. Deus nos ajude pois os governantes...

 

Em resumo, isto hoje não está lá grande coisa. A paciência foi dar uma volta a algum lado e não sei quando volta. Se fosse cão, desatava a morder em tudo e em todos. Era certinho. Será que isto é efeito da alergia? Dos anti-histamínicos? Ou da porcaria do tempo que hoje já me borrifou a cabeça?

 

Ponto De Situação

          

 

Não sei o que fazer. Estou a chegar a um ponto labiríntico. Já me fartei de chorar hoje.

 

A minha mãe não pode ficar sozinha em casa e nem eu posso faltar ao trabalho.  Começo a faltar ao trabalho, sou dispensada.

Por este dois motivos, uma vizinha amiga fez o favor impagável de ficar de tarde com a minha mãe nestes últimos dois dias.

 

Hoje cheguei a casa, fui ver como ela estava e o que tinha comido. É então que a minha vizinha me diz “ eu só a vi beber água” e ela manteve-se calada, por isso essa é a verdade.

 

Fiquei muito decepcionada e revoltada. Ando sempre de volta dela para ver o que quer comer a dar sugestões mas ela é super esquisita.

Tenho tido umas semanas que ninguém imagina. É tratar dela, do resto da família (que chega a casa e não gosta da comida), da casa, das minhas coisas da escola com todos os minutos mais que recontados pois tenho de sair de casa quase sempre por volta do meio-dia ou antes. Geralmente o meu almoço é um bocadinho de pão comido à pressa e uma maçã roída no autocarro. O stress não me deixa comer, não consigo.

 

E é aqui que a decepção e a revolta entram. E hoje passei-me. Disse-lhe duas que ela não deve ter gostado.

Avisei-a que se quer morrer que diga logo e caso ela não faça um esforço, vou pedir à médica para a internar no hospital.

Virei costas lavada em lágrimas.

 

Opa, será que é tão difícil fazer um esforço para engolir algo? Será que é muito difícil esquecer as suas esquisitices, pelo menos, até melhorar? Será que eu não mereço que ela se esmere um bocadinho e vá comendo umas coisinhas?

 

Se não o faz por ela, pelo menos que o faça por mim.